SE PRECISAR CLICK AQUI PARA TRADUZIR

domingo, julho 22, 2007

IPÊS



Tempo de flores nas lindas árvores da Mata Atlântica - Brasil: Ipês.

Muito utilizada em paisagismo, aparecem em quase todas as ruas de minha cidade.

Quando acabam de florir os roxos e rosas, como o da foto, começam a florir os amarelos e os brancos... Neste ano, os roxos estão especialmente lindos devido a condições de temperatura e falta de chuva.


Embelezam nossos dias, e não há como não notá-los, são explêndidos!








segunda-feira, julho 16, 2007

Beijo


De onde vem o beijo?
Vem do fundo da alma... de dentro do coração?



Do sentimento mais profundo
Ou do desejo?
O roçar da boca
O umedecer dos lábios
O encontro
O deleite

A entrega
A delícia
Beijo doce

Beijos quentes
Beijos ardentes!








"O beijo nao vem da boca..."







Inácio de Loyola Brandão

sexta-feira, julho 13, 2007

DIA INTERNACIONAL DO ROCK















Neste dia quero homenagear o grupo de rock que para mim é o melhor:





QUEEN





Ao meu querido Freddie Mercury um carinho especial








Milhares de músicas compostas que tocam fundo no coração de seus fãs, clipes inesquecíveis, performances maravilhosas, shows superlotados, o carinho dos fãs, a verdadeira admiração a esse grupo, que tanto contribuiu e contribui ainda para a história desse gênero musical.

O Rock, que já foi motivo de preocupação das mães e da sociedade em épocas passadas, que já motivou milhares de jovens a se rebelar contra as normas pré estabelecidas, que encantou platéias, um ritmo musical que mexe com as pessoas, que traduz sentimentos, e que me emociona e encanta.



Viva o Rock, viva Freddie, viva Queen!


A todos os fãs do rock, e em especial aos fãs do Queen, uma pequena homenagem.












quinta-feira, julho 05, 2007

POESIA DE ADÉLIA PRADO

Pranto para Comover Jonathan

Os diamantes são indestrutíveis?
Mais é meu amor.
O mar é imenso?
Meu amor é maior,mais belo sem ornamentos
do que um campo de flores.

Mais triste do que a morte,
mais desesperançadodo que a onda batendo no rochedo,
mais tenaz que o rochedo.
Ama e nem sabe mais o que ama.



Descobri hoje não por acaso as poesias desta escritora, que parece-me, pelas poesias que li, ter muito a ver comigo.


Tempo

A mim que desde a infância venho vindo

como se o meu destinofosse o exato destino de uma estrela

apelam incríveis coisas:

pintar as unhas, descobrir a nuca,piscar os olhos, beber.

Tomo o nome de Deus num vão.

Descobri que a seu tempo

vão me chorar e esquecer.

Vinte anos mais vinte é o que tenho,

mulher ocidental que se fosse homem

amaria chamar-se Eliud Jonathan.

Neste exato momento do dia vinte de julho

de mil novecentos e setenta e seis,

o céu é bruma, está frio, estou feia,acabo de receber um beijo pelo correio.

Quarenta anos:

não quero faca nem queijo.

Quero a fome.



___.___

Tenho vinte mais vinte e um. Há dois meses, descobri a nuca- cortei meu cabelo curto - "moderno?", pintei as unhas hoje. Pra me sentir mais bela. Bem arrumada. Tinha festinha na escola, de despedida do semestre.

Não queria me chamar Eliud, nem sei como me chamariase não fosse mulher.

Fiz quarenta em 2006. Neste exato momento, não estou feia, me sinto bonita, está frio.

Tenho fome: fome de viver, de me reconstruir, de crescer, de amar mais e mais, a tudo, a todos.






foto tirada do site: www.laurapoesias.com/datas_especiais/mulher/m...
Um vento bateu dentro de mim e não tive jeito...


Poesia de Pablo Neruda, tirado do site: www. los-poetas.com , inclusive a figura






Para que tú me oigas

mis palabras

se adelgazan a veces

como las huellas de las gaviotas en las playas.


Collar, cascabel ebrio

para tus manos suaves como las uvas.


Y las miro lejanas mis palabras.

Más que mías son tuyas.

Van trepando en mi viejo dolor como las yedras.


Ellas trepan así por las paredes húmedas.

Eres tú la culpable de este juego sangriento.


Ellas están huyendo de mi guarida oscura.

Todo lo llenas tú, todo lo llenas.


Antes que tú poblaron la soledad que ocupas,

y están acostumbradas más que tú a mi tristeza.


Ahora quiero que digan lo que quiero decirte

para que tú las oigas como quiero que me oigas.


El viento de la angustia aún las suele arrastrar.

Huracanes de sueños aún a veces las tumban.


Escuchas otras voces en mi voz dolorida.

Llanto de viejas bocas, sangre de viejas súplicas.

Ámame, compañera. No me abandones. Sígueme.

Sígueme, compañera, en esa ola de angustia.


Pero se van tiñendo con tu amor mis palabras.

Todo lo ocupas tú, todo lo ocupas.


Voy haciendo de todas un collar infinito para tus blancas manos,

suaves como las uvas.

terça-feira, julho 03, 2007

Gordos

Conversando na tarde de domingo ouvi uma
frase que me fez refletir e querer escrever sobre:
"As pessoas gordas são mal vistas, os outros as acham relaxadas, preguiçosas,
desleixadas."

Alguns até dizem, foi tão bonita, hoje está "gorda", sendo quase sinônimo de feia.

Porque será o preconceito?
Todos, ou quase todos, com o tempo engordamos um tanto.
Olhe para você. Pra mim, para o Freddie Mercury.
Olhe teus amigos de adolescência ou infância ontem e agora.
Carecas, mais gordos, quase sempre.

No entanto, olhamos mesmo as pessoas mais gordas com o ar de que são gordos porque querem.
Porque comem demais. Porque não se cuidaram e não se cuidam.
Porque gostam de ser gordos.

Fala-se hoje nos meios científicos de uma epidemia de obesidade.
Tudo colabora: fast foods, eletrodomésticos a facilitar a vida e diminuir os esforços, controles remotos, computador, carros mais acessíveis a todos. Bolachas recheadas, com muita gordura trans, salgadinhos, petiscos, chocolates e doces, refrigerantes à vontade de todos.
Preguiça de andar. De se exercitar. Falta de grana para a academia. Cansaço e stress do dia-a-dia. Televisão, consumismo, oferta...
Tudo facilitando a obesidade: comidas, frustrações, desilusões... enfim.

Existem tantas faces dessa questão. Tenho na família gordinhos e gordinhas. Outros mais obesos. Todos sempre e sempre lutando hora ou outra para não engordar mais, ou para emagrecer.
A obesidade agrava problemas de saúde, ou os causa.

A cada um, um espaço para reflexão.