SE PRECISAR CLICK AQUI PARA TRADUZIR

sexta-feira, novembro 13, 2009

Casa da vovó - Poá SP

Todas as vezes que íamos a casa de nossa avó era uma alegria.
Como não moravamos perto, a viagem em si era ja uma bagunça.
Papai dirigia, mamãe ia ao lado, e nós, as cinco filhas nos distribuíamos pelo resto do carro, tres nos bancos e 2 no bagageiro, que da variant, era aberto para dentro do carro e bem espaçoso.
Lá quase sempre iam as menores, Ana e Deia...
íamos brincando de contar carros da mesma cor, ou cantando, ou de alguma forma papai e mamãe inventavam algo para nos distrair até chegar ao destino.
Lembro-me bem que quando comecei usar óculos, (com 14 anos!) abriu-se para mim um mundo novo, de letras e placas que eu podia ler!
Ia vendo tudo pela estrada, o que antes era embaçado ficava nitído e claro para mim!

Chegando na casa da vovó sempre uma festa! Cinco netas, filha e genro, vovó e vovô nos recebiam com muita alegria e sorrisos.
Quando outros tios também iam, juntava todo mundo e jogavam os homens com vovô, (campeão em Sttutgard!), as mulheres na cozinha batendo longos papos, e nós crianças brincando a vontade pelo grande espaço que tinha no quintal e frente da casa da vó!
As plantas que mais nos marcaram foram flores como dálias, capitão, flor-de-cera, nos fundos tinham pés de banana ouro, copos de leite lindos e brancos, e bem em frente ao portao, durante um tempo um         chorao, que depois foi cortado porque ficou doente e nao tinha como recuperá-lo na época.



Embaixo de um grande pé de  abacate meu avo colocou um banco de cimento, e muitas vezes ficava sentada la, a toa...
Saudades, vontade de regressar um tantinho no tempo, e vivenciar novamente tantas coisas gostosas naquela casa em Poá, onde moravam meus avós, onde passamos boa parte de nossas férias e aonde aprendemos a dar muito valor ao amor entre os membros da familia: avós, tios e tias e primos...



http://bolbos-em-flor.blogspot.com/2009/07/hoya-carnosa.html
Postar um comentário