SE PRECISAR CLICK AQUI PARA TRADUZIR

domingo, dezembro 26, 2010

Véspera de Natal

Antigamente em minha família só comemorávamos o Natal no dia 25, com um almoço farto, com a colaboração de todas as tias : Joana, Dileta, Márcia, Nair, e seus maridos, mamãe e vovó.
Vovó sempre preocupada com a fome das crianças (a nossa ) nos punha numa mesa a parte, com canja!
Quando já éramos mais crescidinhas, lá pelos oito ou nove anos, detestávamos, achávamos uma sacanagem nos encherem de canja com tantas coisas gostosas sendo preparadas à nossa vista!
Mas, assim foi por muitos e muitos anos...
A canja era boa, muito boa.
Depois de um tempo fizemos amigo secreto nas tardes após o almoço, tios e tias, primos e primas, uma farra.
Tia Dileta, festeira de primeira, comandava grande parte dessa festa, deixava pensar que existia papai noel, principalmente a filhinha dela (a Carla).

Pra vovó Luzia e vovô Aurélélio, o importante era a família toda reunida.
Vovô jogava truco com meus tios e papai: "Reboco de igreja velha", colava carta na testa, gritavam!
Foi campeão em Estocolmo, Amsterdã, assim nos contava com seus lindos olhos azuis brilhando... Eh vovô Aurélio, que saudades!

Tempos de muita alegria no Natal...

Depois quando nossos avós se foram, já não encontrávamos mais nossos tios e primos no Natal, passando cada família a comemorar seu natal com suas novas famílias: filhos, filhas, namorados e namoradas, cada qual, dos seis filhos em um local. Cada qual dos seis filhos, meus tios: Zeca, Lelo, Wilson, Joana, Dileta e minha mãe.
Fica a saudades.

Mas aqui em São José começamos novas tradições natalinas também!

Durante bom tempo na noite de Natal, mamãe ia à missa e no máximo fazíamos uma pequena ceia com frutas secas, um Cidra Cereser e panetone.
A Luiza nossa grande amiga tinha passe livre na nossa casa, vinha sempre, a mãe dela não comemorava natal na véspera, nada nada!
E foram aparecendo novos personagens: namorados, e depois meus filhos, os netos durante muitos anos, únicos.
E a festeira fui eu, no lugar da tia Dileta, enfeitando a casa para a festa, fazendo questão de comprar enfeites, comemorar com as crianças, forçando todo mundo a escutar musicas natalinas de um cd que comprei nas americanas: e ouvíamos um pouco de Dingo Bell, e muitas mais!!!
Depois minhas irmãs também foram se casando, tendo filhos e não sei a partir de quando,  começamos a festejar a véspera com ceia, e o almoço no dia também.

Sempre uma dúvida, será que tal irmã  vem na noite, ou só no  dia, será que vem aqui primeiro ou na casa da mãe do marido...
Sufoco pra quem tem que se dividir em duas famílias festeiras, como eu, e a Ana e paciência para aqueles que ficavam a nos esperar...
E tudo virava um grande encontro no dia 24 com mamae, as meninas e eu cozinhando feito loucas o dia todo,aquele cheiro gostoso na casa, as crianças ja correndo e brincando, um pré natal....
Depois ainda tínhamos que nos aprontar para estarmos lindas na hora da ceia! Um banheiro só sempre era pouco, e secador, e espelhos, ai ai!
As árvores começaram a fazer parte da festa também, amigo secreto em alguns anos, e depois presentes para as crianças, afilhados, pai e mãe...
De vez em quando uma resolve dar uma de mamãe (ou papai) noel e dar uma lembrança pra cada pessoa... o que tem se tornado mais raro, não por falta de vontade, mas de grana mesmo!
E aí alguns netos(os meus meninos), casaram e as trouxeram as esposas para fazer parte da nossa festa.
E desde o ano passado mais uma preciosidade: Bianca minha neta!

E a gente ficou pensando:  o que faremos de comida?
Uma semana antes nada planejado, um desânimo em todo mundo!
Mamãe achando melhor não ter comilança de véspera só o almoço do dia 25.
Insistência nossa resolvemos  os cardápios dos dias 24 e 25.
E assim ficou. Ia ser tudo bem tradicional...
E ninguém nada providenciou.
E no dia 24 de manhã mamãe e eu fomos para o mercado LOTADO comprar os ingredientes da festa.
E haja paciência: para estacionar, para andar no mercado, para ficar na fila. Porque brasileiro deixa tudo pra última hora? Meu Deus! Eu também!!!

Mas faz parte da festa toda a preparação, a escolha de cada ingrediente, tocar, cheirar, apalpar, selecionar...
Conversar, eu e mamãe, conversar e conversar!
E até mudar cardápio no meio do supermercado !
E liga pra um, pra providenciar isso ou aquilo, e troca tudo, e enfim vamos a fila, que era enorme e demoraaada.
Finalmente saímos daquele local lotado e cheio de coisas tentadoras e gostosas, vontade de levar TUDO que víamos...
E leva mamãe pra casa, já bem atrasadas, morrendo de fome, pois desde as dez até uma e meia no mercado... ninguém merece!
E aí que as meninas (minhas sobrinhas) estavam lá na casa da vó: todas, fora a Yasmin, claro, porque ela está na Austrália (pensamos que iam estar tambem, mas ficou pra depois...saudades!).
Meninada bonita, minhas sobrinhas... olhem só:

E lá fui eu, pra minha casa, que ainda tinha muita coisa pra acabar de resolver pra noite natalina.
Desta vez o Jean providenciou árvore e enfeites.
E chegou a noite.
E o meu querido sogro passou mal,e melhorou, e fomos lá e fomos cá.
E foi muito gostoso e muito bom.
Cheio de amor, e um pouco de encrenca por causa dos gostos musicais. Jean estava muito alegre, com suas músicas que nem todos gostam, mas que movimentam a festa. Nada de meus cds natalinos mais!

E comemos. E não parávamos mais de comer!
Tudo de bom. Noite gostosa.
E aí, ninguém tirando fotos só agora percebo não tenho fotos pra postar para as irmãs de longe ver!
Na hora de ir embora, decisão de última hora, a Ana ia levar as meninas para praia no dia 25, vai todo mundo, que delicia, praia é tudo de bom.
Deixa-nos uma pequena sensação de abandono no almoço, pois os planos eram outros!

Mas, que seja. E foram.

E hoje para o almoço, metade da família desfalcada.
Mamãe cansada, Ivan gripado. E João Pedro nos baianos.
E Ana, Gabi, Nana e Júlia na praia com o Mário.
E João na família dele.
E Jean, Juliana e Bianca na casa da avó Ilma.
E nós la.
Os natais passados na casa da vó Luzia, para Sandra (que detesta esta época) eram os verdadeiros natais...descobri hoje.
E descobri que eu gosto  e muito dessa época.
E ainda: que bom que fizemos festa na vespera!
E as duas crianças que ficaram para nosso Natal  - Carol e Lucca nos alegraram, e comemos bem demais, e conversamos e rimos e curtimos.

E foi assim nosso Natal este ano.
Feliz apesar dos imprevistos!
Postar um comentário