SE PRECISAR CLICK AQUI PARA TRADUZIR

sexta-feira, junho 08, 2012

Feriado com chuva

O que fazer?
Para aqueles que como eu não foram viajar parece meio óbvio: fomos ao shopping.
Para almoçar. Depois das 13hs.
Começou nossa odisséia na rua em  frente ao shopping:  uma fila de carros.
Eis que eu digo: nem todos vieram comer, muitos vieram para comprar nas lojas ou ir ao cinema.
Errei feio. Pareceu-me que todos que estavam lá fora, brigando por uma vaga pra estacionar o carro, também haviam resolvido ir ao shopping para almoçar!!!
O problema era maior pois estávamos eu, o Jo( meu marido) e o meu filho, adolescente, as vésperas de completar seus 14 anos... mas disso falo outro dia.
João depois de dar várias voltas infrutíferas no estacionamento, ficou  parado, esperando "surgir" alguém que já estivesse indo embora, e o filho - João Pedro - foi  ficando mais impaciente do que já é normalmente... tecendo comentários desagradáveis e enchendo a paciência de seus pais - eu e o Jo.
Surge enfim uma vaga, um pouco atrás do que estávamos, e ao tentar dar ré, uma  moça  em seu carro já estava  pronta para pegá-la.
Aí os instintos animais começaram  a aflorar....Jo foi dando ré, a outra motorista TEVE que sair de trás.
Claro que quando ela passou por nós falou algo, que não entendemos, mas deduzimos: um xingamento.
Vai daí o Jo chama-a pela janela e mostra o dedo do meio!!!! QUE HORROR! Por causa de uma vaga!!!
É repreendido pelo filho e fica ainda mais puto.
Pronto, pensei, acabou-se o passeio.
Vamos andando no chuvisco até o shopping pois mesmo o filho dizendo que não quer mais ficar ali, quer ir pra casa, depois de todo esse estresse logicamente o pai quer comer ali. Dane-se o que os outros querem. Ele já esgotou toda sua paciência.
E assim fomos. Pra dentro do shopping absolutamente lotado de gente.
E escolhe-se o que vamos comer. E acaba-se pedindo desculpas de ambos os lados, e vamos a tarefa mais árdua do dia: achar uma mesa para sentarmos e comer.
Ficamos olhando como cachorros famintos para as mesas ao nosso redor, procurando pessoas que já estivessem acabando seus pratos e ainda, que não tivessem nenhum "cão faminto" já de olho em seu lugar, prostrado ao lado.
Me senti tão mal! Parecia uma guerra fria. Onde ninguém ataca, mas sente-se no ar a hostilidade do próximo mais próximo.
Fiquei cercando uma mesa, o filho outra e o marido outra.
Quem visse o grupo acabar primeiro, na mesa cercada, os outros avançavam...
E assim haviam várias pessoas ao nosso redor, observando, cercando e esperando.
Ninguém com cara gentil, ninguém com sorrisos. Todos de cara fechada, prontos para a agressão.
Fico a postos de um casal e uma filha que estão nas últimas garfadas. A esposa levanta, coloca o prato no balcãoe sai em direçao a lojas ou banheiro e eu pergunto ao pai: posso por minha bolsa aqui?
Claro, para já marcar MEU lugar.
Ele balança a cabeça, concordando.
Ele acaba de comer, a filha põe o prato dele  no balcão, e ficam lá. Cinco minutos. Dez. Eu de costas, pra não parecer que estou apressando a saída deles, e tirando sua liberdade. A esposa tinha já saído. A menina acabou de comer também. O pai fica girando o celular na mesa.  Claro que depois de dez minutos que acabaram de comer eu comecei a olhar, apressando eles !
Que nada. O cara na maior tranquilidade, braço cruzado, conversando com a filha. E eu ali, esperando.
Isto porque antes ja tinha me colocado ao lado de outra mesa, e uma senhora chegou perto dos  que estava sentados  e pediu: posso me sentar aqui quando vocês acabarem?
Eu só olhei de lado e fui em  direção a ela dizendo: Eu já estou aguardando eles saírem primeiro. E ela me diz que ela estava la primeiro, só que encostada na pilastra, onde eu não a vi, mas ela me viu. Pensei entao: porque não me falou logo que me viu ali parada?
Querem nos fazer de bobos?
Enfim, saí e fui pra perto da mesa do casal e filha.
Nisto, passados 15 longos minutos em que o cerco meu e de meus entes estava feito, vejo a esposa voltar e sentar calmamente na mesa, os três sem nenhuma coisa pra comer, apenas papeando enquanto ao redor deles, dezenas de pessoas umas já com a comida na bandeja aguardam uma vaga pra sentar!
Penso em como as pessoas estão a cada dia mais egoístas e mesquinhas!
Em que se não tivesse já pago o nosso prato, virava e ia embora comer ate arroz e ovo em casa, que seria bem melhor do que comer ali, naquela muvuca!!!
Em como uma pessoa - no caso o pai dessa família demonstrou total falta de civilidade e mesmo um pouco de consideração pelo próximo!
Aí João Pedro me chamou, pois havia conseguido uma mesa, em frente a mesa que eu aguardava, pois a moça ali sentada o chamou para que ele sentasse assim que ela saiu e não havia ninguém cercando a mesa dela.
Sentei-me e verifiquei que nosso pedido já estava sendo anunciado no painel do restaurante... fomos la buscar a comida, sentamos e fiquei chingando mentalmente o "idiota" sentado atrás de mim, sem comida e conversando na mesa.
Claro esta que ele poderia fazer isso, qualquer dia, menos nesse em que varias pessoas procuravam um lugarzinho pra comer!
Que posso dizer? Comi nervosa, e rápido. Muito rápido.
Joao também. João Pedro mal tinha começado, nos dois já havíamos terminado.
E nisto observo um senhor, com bandeja na mão, procurando uma mesa, andando pra la e pra cá sem parar. Pensei: vou chamá-lo assim que o JP terminar.
Mas quando ele estava quase terminando o rapaz andante estava do outro lado da praça de alimentação, e chamamos então uma moça, e logo ela veio e seu filho pequeno também.
Ao olhar em torno, la vejo o moço andante, ainda com a bandeja e sem lugar...Penso: Meu Deus! Que situação!!!!!!!


PS. Depois de escrever tudo isso dei boas risadas com :  http://www.renanlima.com/blog/tag/shopping-lotado/
ao procurar uma foto de "shopping lotado"!!!!
Dá uma olhada lá e ria também.

Postar um comentário